Por que usar SSD?


SSD

Tamanho reduzido, maior velocidade e menor consumo de energia: essas são algumas das características básicas da mais recente forma de armazenar dados em grande quantidade para servidores, computadores e desktops: os SSDs.


A sigla significa Solid State Drive (unidade de estado sólido). A popularização do SSD começou nos primeiros anos da década passada. De lá para cá, o equipamento se tornou conhecido, e agora ele vem de fábrica em boa parte dos desktops e notebooks.


Podem ser entendidos como discos, embora sua constituição seja muito diferente dos tradicionais drives de grande capacidade. Veja aqui as diferenças entre HDs (discos rígidos) e SSDs, as vantagens desse método de retenção de dados e porque sua empresa faz bem em adotar desde já.


HD versus SSD


Se você fizer um levantamento das diferenças entre os dois componentes, vai encontrar uma lista numerosa. Assim, aqui vão apenas algumas delas, resumidas:


Funcionamento


Os HDs funcionam por magnetismo e eletromecânica. Possuem internamente um disco de alumínio, cerâmica ou até vidro, revestido com material magnético. Ele gira a uma velocidade que pode chegar a 7200 rotações por minuto em torno de um eixo. Um braço mecânico móvel com um leitor na ponta faz a leitura e a escrita dos dados.


O SSD é um avanço em comparação aos HDs primeiramente por causa da sua estrutura: as unidades sólidas não possuem partes móveis nem mecânicas. Ele armazena os dados em circuitos integrados instalados em placas, seguindo o padrão dos celulares e tablets.


Leia também: Backup em dia: a importância para a gestão de TI da sua empresa.


Vantagens


Velocidade: os discos rígidos comuns gravam dados fragmentados e espalhados pelo disco. Isso sempre traz uma dificuldade na leitura dos dados, já que ela depende do posicionamento exato da cabeça magnética. Isso leva a uma pequena demora na localização e exibição na tela.


Já os SSDs não têm esse problema. Como os dados estão fixos em um chip, a velocidade de leitura é sempre igual em qualquer lugar da memória, fazendo com que as informações sejam encontradas muito mais rapidamente. O fato de não existir um disco rotativo influi no tamanho do drive: o SSD é bem menor e mais leve que o HD.


Consumo de energia: Pelo esforço que faz para mover os componentes internos, o HD consome mais energia e esquenta bastante. É possível perceber isso ao usar um notebook no colo. Os discos sólidos não mudam sensivelmente de temperatura e utilizam menos energia.


Ruídos: Alguns modelos de HDs com o passar do tempo começam a apresentar ruídos, devido ao desgaste das peças móveis. Os SSDs, além de estarem isentos disso, são mais resistentes a choques e impactos físicos que porventura aconteçam.


Porque usar


Embora o preço de um HD seja relativamente menor do que o de um SSD, vale a pena considerar o uso dessa tecnologia de armazenamento. Você ganha em velocidade e desempenho, economia final e durabilidade.


Assim como acontece com qualquer inovação, o preço tende a cair com o tempo. Consulte o seu suporte de TI sobre os benefícios de migrar seus dados para os drives sólidos. No mercado há opções de diversos fabricantes, como Samsung, Kingston e Intel.


E sua empresa, precisa de um projeto de rollout de sistema, rollout de equipamento ou peças, como HD, por exemplo? Se sim, conte com o nosso time para esse projeto, fale com um de nossos consultores.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo