Nuvem pública, privada ou híbrida, qual é a melhor opção para sua empresa?

Atualizado: Jun 8



Entenda os aspectos por trás de cada um deles e a maneira pela qual a Cloud Computing pode melhorar o ambiente corporativo.

A computação em nuvem é um modelo de negócios muito interessante e foi identificada como a tendência mais lucrativa para o mercado de tecnologia nos próximos anos. A adoção de plataformas e aplicativos na nuvem, seja corporativa ou pessoal, está crescendo em ritmo acelerado, estimulada pela aparente facilidade de implementação.


Nuvem pública

Cloud Computing se concentra principalmente em nuvens públicas, porque eles adicionam um número maior de usuários. No entanto, existe a possibilidade de canalizar os recursos de virtualização e automação de servidores e data centers para a criação de nuvens privadas. Essa opção é considerada pelas empresas que desejam manter os dados armazenados e compartilhados internamente seguros e que geralmente já possuem um departamento de informática em operação.

Leia também: BYOD melhora a produtividade, mas aumenta o risco de fuga de informação.


Nuvem privada

A nuvem privada usa todos os processos básicos da computação em nuvem: virtualização, padronização, automação e autoatendimento (autoatendimento), para fornecer acesso exclusivo apenas aos servidores e datacenters da empresa. Em outras palavras, a escalabilidade é limitada à capacidade de TI dessa empresa. Dessa forma, é possível diminuir o tempo de implantação de novos sistemas e aplicativos, o que proporciona vários benefícios.


A resposta a uma reivindicação que pode levar semanas agora é possível em horas ou minutos. Nesse sentido, os benefícios obtidos pela concretização de oportunidades para o lançamento de novos negócios são enormes, e os recursos computacionais da empresa serão explorados com mais qualidade. Essa escalabilidade não apenas aumenta a produtividade da empresa, mas também ajuda a reduzir custos.

Os custos em uma nuvem privada são Investimentos em Capital (Investimentos em Ativos de Capital), enquanto em uma empresa que usa a nuvem pública, ela trabalha com custos que são Despesas Operacionais (OPEX). Com exceção dessa diferença de custo entre esses dois modelos de nuvem, o valor gerado por cada um deles é basicamente o mesmo. Isso significa que uma nuvem pública aloca seus investimentos a recursos e aplicativos de operações. Em contraste, a nuvem privada oferece investimentos em infraestrutura e plataforma para reduzir gradualmente os custos operacionais e aumentar a produtividade.

No entanto, o que desperta grande interesse quando se fala em Nuvens Privadas é a questão da segurança e privacidade ou proteção dos dados prioritários da empresa. Nesse modelo de nuvem, os níveis de confiabilidade aumentam, já que servidores e data centers operam exclusivamente no ambiente corporativo, o que garante a confidencialidade dos dados relacionados à empresa e seus clientes.

Existem algumas desvantagens quando falamos de Nuvem Privada: baixa elasticidade, alto grau de sofisticação em termos de dimensionamento e capacidade, além de maiores custos de CAPEX. Isso torna as nuvens privadas não a melhor opção para todos os tipos de empresas. Os maiores custos de CAPEX a curto e longo prazo tornam o investimento recomendável apenas para empresas que já possuem maior volume de capital para inovação em tecnologia.

Leia também: O funcionamento de um datacenter, hoje e amanhã.


Nuvem híbrida

É aqui que as nuvens híbridas apresentam o maior potencial para fornecer soluções equilibradas, pois são a melhor opção para resolver os problemas de elasticidade, custos e gerenciamento. Embora se concentrem em pequenas e médias empresas, elas também podem ser usadas em grandes empresas. Tudo depende das necessidades de cada empresa.

Nuvens híbridas podem ser criadas de diferentes maneiras. Eles podem ser uma mistura de recursos físicos e virtuais, contratando software como serviço (SaaS), redes públicas e privadas ou de diferentes provedores. Por exemplo, uma empresa pode combinar sua infraestrutura interna com nuvens externas de um provedor de nuvem e, por outro lado, nuvens privadas totalmente estabelecidas em provedores de nuvem em combinação com nuvens públicas.

No entanto, a adoção de tal modelo de negócios não é tão simples quanto parece. A empresa deve ter um departamento de tecnologia que esteja ciente de todas as necessidades de TI da empresa. Com um departamento de empresa bem integrado pode identificar as áreas que requerem virtualização para acelerar seus processos com vista a aumentar a produtividade e gerar novos negócios, bem como áreas que devem passar por testes antes de modelo de implantação de Cloud Computing.

A abordagem híbrida é a melhor maneira de equilibrar os riscos e benefícios das nuvens públicas e privadas. É a melhor maneira para os CIOs (Chief Information Officers) para colher os benefícios das duas nuvens, em seguida, expandindo os serviços utilizados em uma nuvem híbrida é possível aumentar a eficiência de todos os aspectos de negócios da empresa em um ambiente de nuvem.

Nosso time de consultores pode ajudar sua empresa a migrar para a nuvem ou a realizar seus backups em cloud usando a melhor opção de acordo com as necessidades e possibilidades do seu ambiente tecnológico. Fale com um especialista agora mesmo!

Receba nossas novidades por e-mail

© Desde 2016 por ICMP Consultoria em TI. CNPJ: 25.357.501/0001-50