A importância do Windows Update

Atualizado: Jun 17



A Microsoft, desenvolvedora do Windows, sistema operacional mais utilizado no mundo, permitiu (por 1 ano, agora, só pagando) que todos os computadores que possuíssem uma chave de instalação original pudessem atualizar gratuitamente o sistema para sua mais nova versão, denominada Windows 10.


Essa atualização ocorreu para quem possuía o Windows 7, Windows 8 e Windows 8.1.


Atualizações do sistema operacional

Cada grande atualização do Windows 10 possui uma numeração diferente que serve para identificar suas compilações, as numerações utilizadas nas builds normalmente são para controle interno, porém, como pode-se perceber, o sistema já deu um grande salto nelas, logo, é fácil perceber que o mesmo vem sendo atualizado com uma frequência nunca vista em versões anteriores.


Obviamente, estas versões, antes de serem liberadas para o público passam por grandes testes internos, bem como testes com os chamados Windows Insiders, usuários que recebem as compilações antecipadamente ao grande público e estes podem reportar erros e sugestões para a Microsoft.

Antes do Windows 10, a Microsoft lançava versões do sistema de tempos em tempos. Isso significava também longos períodos sem atualizações ou novos recursos.


O cenário atual entrega o Windows 10 como um serviço (SaaS), logo, o mesmo terá atualizações “maiores” de tempos em tempos (3x por ano, em média), e atualizações de segurança e correções de bugs mensais (normalmente disponibilizadas em cada segunda terça-feira de cada mês), mas claro pode sair uma versão de emergência entre esse período.

O Windows 10 introduziu o conceito de branches de manutenção para permitir que os clientes designem o nível de atualização de seus computadores individuais.


Por exemplo, uma organização pode ter computadores de teste que o departamento de TI pode atualizar com novos recursos assim que possível e, em seguida, os dispositivos especializados que exigem um ou mais ciclos de atualização de recursos.


Grandes empresas, primeiro testam as atualizações antes de efetivamente disponibiliza-las para todos os computadores da rede, isso ajuda a evitar problemas de compatibilidade dos novos recursos com os recursos mais antigos e ainda em produção.

Quando se fala de sistemas legados que funcionam em um servidor específico, é bem provável que uma longa bateria de testes deva ser executada antes de qualquer atualização. Mas quando falamos do usuário doméstico, que apenas instala e desinstala softwares corriqueiros de uma maneira geral, deixar o sistema desatualizado soa como uma grande falta de conhecimento.


Leia também: Quando e como usar o Sysprep

Mas todas estas atualizações do Windows são necessárias?

Sim, há muitas correções de erros e segurança nessas atualizações, e também há atualizações de sistemas para os hardwares básicos.


Atualizações frequentemente proporcionam correções de segurança que diminuirão significativamente as possibilidades de ataques de hackers e spywares.


Estas correções de segurança são chamadas de "patchs" e frequentemente estão marcadas como tal no Windows Update. São geralmente pequenos arquivos que podem ser rapidamente descarregados e instalados, assim vale a pena gastar um pequeno tempo para atualizar tudo.

Mude a frequência de atualização do Windows

Se você é um usuário doméstico ou não tem um departamento de TI na sua empresa, você pode ajustar de forma simples a frequência com que o Windows é atualizado, para isso, acesse "Sistema e Segurança" no painel de controle, em seguida, “Windows Update'.


Depois, selecione "Trocar a Configuração" à esquerda e verá uma opção para "escolher como Windows pode instalar as atualizações". Aqui, você pode escolher opções como diariamente, semanalmente ou mensalmente – para mudar a frequência em que o Windows busca por atualizações.


Para usuários de redes corporativas as atualizações podem ser agendadas de acordo coma necessidade da empresa através do servidor (desde que seja um Windows Server com o WSUS - Windows Server Update Services - configurado).

O que fazer se acontecer um problema com uma atualização?

Às vezes, ao fazer uma atualização do Windows ele pode apresentar bugs decorrentes de erros da própria atualização, ou de incompatibilidade com o hardware ou por falha no momento do download.


Para se preparar para isto, tenha certeza de que seus dados importantes estão seguros antes de tentar qualquer atualização importante - faça e mantenha sempre atualizado os seus backups.


Tenha certeza também de que ao menos o 20% de seu disco rígido esteja livre e que sua bateria suportará até o fim da atualização – melhor ainda é deixar o computador plugado em uma tomada para evitar desligamento no meio de uma atualização - o que pode causar danos ao sistema e gerar a necessidade de uma reinstalação completa.

Se o sistema cair durante uma atualização, experimente teclando Ctrl-Alt-Del para abrir o administrador de tarefas, onde possivelmente poderá cancelar o processo de instalação.


Se isso não funcionar, reinicie o equipamento pressionando o botão de resetar ou tirando temporalmente a bateria. Frequentemente, Windows se reinicia normalmente e volta à atualização. Se continuar tendo problemas, tente ligar em modo de segurança e recuperar um ponto de restauração.

Receba nossas novidades por e-mail

© Desde 2016 por ICMP Consultoria em TI. CNPJ: 25.357.501/0001-50