4 táticas para planos de recuperação de desastres

Atualizado: Abr 17


A preparação pode significar a diferença entre administrar através de uma crise e sucumbir na sequência de uma catástrofe para o seu negócio.

Depois de experimentar uma crise, como um desastre natural, 1 em cada 4 pequenas empresas nunca reabrirão suas portas.

Estatísticas submissas como estas são comumente promovidas pela Administração Federal de Gerenciamento de Emergência, Departamento do Trabalho e Administração de Pequenas Empresas nos EUA. Como seu negócio pode evitar um fim trágico?

Na sequência dos extensos furacões, incêndios e inundações que varreram os EUA durante o ano de 2017, as PMEs hoje precisam revisar ou desenvolver um plano de continuidade de negócios para garantir que eles estejam adequadamente preparados, caso haja um desastre. No Brasil não temos problemas com furacões, terremotos de grandes proporções, entre outros desastres que abalam outros países mundo a fora, mas a possibilidade de uma inundação, incêndio ou desabamento de prédios deve ser sempre considerada, não importa o porte, ramo e localidade das empresas.

Para realizar um plano eficiente para recuperação de desastres, sua empresa pode considerar os seguintes pontos como base:

1. Atualizar análises de impacto de negócios e avaliações de risco


BIAs e RAs identificam as consequências e potenciais perdas que podem resultar de uma interrupção. Para serem valiosas, essas avaliações exigem revisão periódica, durante as quais os ativos das empresas podem ser retalhistas, se necessário, e medidas de proteção e estratégias de continuidade podem ser revistas.

Considere não só os cenários de desastres naturais, mas também os riscos humanos, como acidentes de trabalho e assaltos, bem como riscos tecnológicos, como falhas de energia e atrasos da cadeia de suprimentos. Saiba como conduzir ou melhorar BIAs e RAs pedindo uma consultoria profissional.


Leia também: Recuperação de desastre X recuperação de segurança

2. Mantenha planos de continuidade de negócios simples e amplamente disponíveis


Crie planos separados para abordar cada tipo de interrupção, e mantenha-os simples e diretos para que eles possam ser realizados rapidamente por uma equipe estranha – que não conhece/convive no ambiente, isso pode ser útil na falta dos profissionais que desenvolveram o plano. Certifique-se de atualizá-los à medida que ocorrem alterações comerciais importantes.

Mantenha cópias digitais de todos os planos em vários locais eletrônicos, incluindo os smartphones dos usuários, e certifique-se de que a equipe de TI pode atualizar as informações conforme necessário.

3. Camada em resiliência à recuperação de desastres


A recuperação de desastres como serviço permitirá a recuperação rápida de aplicativos e dados em caso de crise. No caso de uma interrupção no local, evite o tempo de inatividade deslocando os usuários para serviços hospedados na nuvem.

Em última análise, um furacão não discriminará entre o datacenter de um fornecedor da nuvem e as instalações de um negócio ou de backup. Para mitigar os riscos de qualquer desastre natural dado, mantenha múltiplos backups em locais geográficos diferentes.

4. Teste seu plano de recuperação regularmente


Um plano de recuperação bem elaborado pode ajudar um negócio a retomar as operações de forma eficiente depois que ocorre uma interrupção - mas mesmo o plano melhor estabelecido precisa ser examinado para garantir que ele funcione.

Teste planos de recuperação pelo menos duas vezes por ano para garantir que os funcionários saibam o que fazer, particularmente se a liderança não for alcançável. Documentar processos manuais a serem utilizados se um processo tecnológico correspondente estiver comprometido.

Receba nossas novidades por e-mail

© Desde 2016 por ICMP Consultoria em TI. CNPJ: 25.357.501/0001-50