Os melhores aplicativos de VPN para Linux

Atualizado: Abr 17



O Linux pode ser considerado um dos sistemas operacionais mais seguros que você pode usar, mas que ainda não protegerá seu tráfego de internet quando ele sair de sua máquina.


Você precisa de uma rede virtual privada (VPN) para Linux e analisamos as VPNs mais bem classificadas para ajudá-lo a escolher.

O que é uma VPN?

Se o século XX foi definido por um crescimento explosivo da tecnologia, então o século 21 está começando a ser definido pela segurança pessoal, ou mais claramente, pela falta dela.


Redes Privadas Virtuais (VPNs), antes uma ferramenta de conexão site a site para profissionais de TI, evoluíram para se tornarem serviços pessoais que permitem que usuários individuais se conectem à Internet usando tráfego criptografado que impede que terceiros investiguem suas atividades na web.

Essa evolução da VPN ocorreu porque se tornou cada vez mais fácil para os hackers explorarem sistemas operacionais (SO), aplicativos e redes em constante mudança. Isso significa que táticas sofisticadas, como ataques man-in-the-middle, não estão mais apenas voltadas para as empresas.


Está acontecendo com pessoas comuns que estão frequentando sua cafeteria favorita e acessando sua vida virtual de lá. Isso significa que essas pessoas precisam atualizar seu arsenal de segurança de dados.

Uma VPN criptografa e canaliza todo o tráfego da web por meio de um proxy seguro na nuvem. Imagine todo o seu tráfego da Web indo e voltando do seu computador como um fluxo. Agora, simplesmente envolva esse fluxo dentro de uma camada de tráfego criptografado; isso é uma VPN básica.


Toda a sua navegação parecerá vir do servidor VPN, e ninguém, em teoria, pode ver o que você está fazendo simplesmente observando o tráfego da rede, já que existem milhares de outros usuários todos enviando dados através do mesmo endereço IP (Internet Protocol).


Leia também: 7 vantagens de usar Linux que todo profissional de TI deveria conhecer

Por que preciso de uma VPN?

Se você usa seu computador ou dispositivo em uma conexão de rede pública, como hotspots, então definitivamente precisa de uma VPN. O Wi-Fi público é um vetor de ataque favorito para cibercriminosos que estão tentando levantar suas senhas. Ao reduzir a chance de um ataque man-in-the-middle, as VPNs mantêm você e suas informações pessoais mais valiosas mais seguras.

Outro motivo é manter a privacidade de provedores de serviços de Internet (ISPs) e agências governamentais cada vez mais invasivos. Isso é especialmente verdadeiro se você usar um serviço de compartilhamento ponto a ponto (P2P), como o BitTorrent, que, embora seja mais comumente usado para atividades de compartilhamento de arquivos perfeitamente legais, continua associado a uma certa quantidade de atividade ilegal.


Mesmo que você não caia na nefasta categoria de usuários, não é incomum ter sua conexão simplificada com base no tipo de navegação que você está fazendo. Se você não quiser que seu ISP ou qualquer outra pessoa faça a diferenciação entre o Netflix e o tráfego de navegação padrão, é necessário considerar uma VPN.

O que considerar ao comprar uma VPN

Embora a maioria das VPNs pessoais precise se concentrar na facilidade de uso, os usuários de Linux tendem a querer mexer um pouco quando se trata de software.


Esse fato não se perdeu na maioria dos provedores de VPN que, com base em nossas experiências durante essa análise, colocaram menos esforço na configuração e facilidade de configuração no Linux do que no Apple OS X, Microsoft Windows e os sistemas operacionais móveis mais populares (SOs).


Embora eles tornem as instruções geralmente claras na maioria das circunstâncias, você deve esperar sujar as mãos para ter uma VPN (para Linux) funcionando.

O OpenVPN é o principal caminho de protocolo ao tentar se conectar no Linux, embora outros protocolos também funcionem. Para usuários do Ubuntu, é um simples comando apt-get, longe de trabalhar diretamente da interface do usuário do Unity (UI).


É uma boa idéia atualizar suas habilidades no terminal se estiver se sentindo um pouco enferrujado, porque alguma digitação na linha de comando irá ocorrer.


Alguns serviços VPN oferecem uma interface gráfica de usuário (GUI), mas são relativamente raros. Nesta revisão de VPN (para Linux) apenas duas das opções de VPN oferecem uma GUI.


Para aqueles que o fazem, é importante avaliar se ele oferece ou não benefícios adicionais, como protocolos personalizados, a capacidade de detectar o servidor disponível mais rápido e a capacidade de executar tarefas de configuração adicionais, como desabilitar o Protocolo da Internet Versão 6 (IPv6) (o que é importante quando você está tentando manter um túnel seguro).

Considere também os tipos de serviços que você deseja acessar. O streaming de vídeo de serviços como o Netflix exigirá não apenas velocidade, mas potencialmente um endereço IP estático, o que poderia aumentar seu custo mensal.


Conectar-se de diferentes países pode ter um efeito saudável ou adverso na velocidade geral de navegação, o que pode afetar os tipos de aplicativos da Web que você pode executar.


O BitTorrent ou outros usuários de compartilhamento de arquivos P2P também vão querer investigar cuidadosamente, não apenas por compatibilidade com uma determinada VPN, mas também para ver que tipo de política de retenção de dados o serviço tem, para que, se os dados forem entregues a uma autoridade legal, identidade e atividade permanecerão privadas.


Todos esses fatores serão críticos na seleção de qual serviço usar.

Leia também: 5 ferramentas open source para segurança de rede


Posso confiar em uma VPN?

Um dos principais desafios com o uso de um serviço VPN é determinar até que ponto você pode confiar nesse serviço. Mesmo que todo o tráfego do seu computador para a VPN seja criptografado, isso não significa que o próprio serviço de VPN não possa detectar e analisar o tráfego da web.


Sem alguma pesquisa cuidadosa, você poderia estar trocando um diabo (seu ISP) por outro (o serviço VPN). Para aqueles que viajam para o exterior, esse tipo de pesquisa pode significar a diferença entre ir para a prisão ou ir para casa.


Além disso, qualquer VPN que valha a pena considerar publica uma descrição detalhada do que eles fazem e não fazem quando se trata de reter e divulgar seus dados. Os melhores dos melhores não retêm registros e existem em uma jurisdição legal que não faz exigências para fornecer ou registrar dados de navegação ou de conexão de rede.

Por que considerar serviços fora dessas jurisdições? A maior desvantagem é a velocidade. Em sua essência, uma VPN está criptografando o tráfego, o que leva tempo, especialmente quando está acontecendo em um fluxo constante como quando você está navegando na web.


Além disso, você está enviando todas as suas solicitações de tráfego não diretamente para o website para o qual está navegando, mas primeiro para outro computador, ou seja, o servidor VPN do serviço e de lá para o website, o que ainda leva mais tempo.


Combinados a esmo, esses dois fatores podem ter um impacto significativamente negativo no seu prazer de navegação, mesmo que eles o mantenham mais seguro.

Além disso, dependendo de onde sua VPN está hospedada, você pode descobrir que alguns serviços são menos confiáveis ​​ou oferecem conteúdo diferente do esperado.


Felizmente, a maioria das VPNs oferece uma ampla variedade de endpoints em um cenário geográfico diversificado. No final do dia, você precisará considerar uma VPN com base em suas necessidades e essas podem variar significativamente.

As VPNs merecem muito crédito por tornar a Web mais segura. No entanto, eles também representam uma série de políticas e recursos muitas vezes difíceis de decifrar.


O fato de que você está acessando essas informações sob o Linux não facilita as coisas, já que o Linux nem sempre é tecnicamente fraco (e seus usuários normalmente não são considerados cidadãos de primeira classe quando se trata de atualizações comerciais de software).


Os usuários do Windows geralmente desfrutam de algum tipo de GUI e ferramentas adicionais para ajudar a confirmar que a VPN está fazendo o que deveria estar fazendo. Na terra dos pinguins, porém, você está em grande parte sozinho, mas existem algumas preciosidades que vale a pena observar.

Os 5 melhores serviços de VPN para Linux do mercado


De acordo com nossos especialistas

  1. NordVPN

  2. Private Internet Access VPN

  3. TorGuard VPN

  4. Hide My Ass VPN

  5. Golden Frog VyprVPN

Receba nossas novidades por e-mail

© Desde 2016 por ICMP Consultoria em TI. CNPJ: 25.357.501/0001-50